default-logo

SLIDE-MENORAH321

ATENÇAO

Pacote completo por
US$ 3,852
EM 12 X no cartão de crédito
valor do dólar do dia
Ligue: (11) 3723-7576

• Passagem Aérea Ida e Volta
• Recepção e Assistência no Aeroporto
• Traslado na Chegada com Maleteiros
• Hospedagens em Hotéis de Categoria
• Maleteiros nos Hotéis
• Impostos Hoteleiros Locais
• Transporte em Ônibus de Luxo
• Guia Especializado em Português
• Taxas de Fronteiras e Aeroportos
• Café da Manhã /Jantar
• Visitas como Indicado no Roteiro
• Entradas segundo o Itinerário
• Um Pastor acompanhando o grupo
• Seguro Viagem (até 70 anos)
• Mapas, Chapéus e Diplomas

Seu nome (obrigatório)

Seu e-mail (obrigatório)

Telefone

Consulte o preço deste pacote!

Pagamento a vista com desconto ou parcelado em até 10 vezes no
Cartão de Crédito ou em cheques pré-datados até 10 dias antes da viagem!

Bandeiras_Cielo_

Veja abaixo o roteiro completo desta inesquecível viagem:

1º Dia – Embarque:

Embarcaremos no Aeroporto Internacional de Guarulhos com destino ao Cairo.

2º Dia – Chegada ao Cairo:

Chegaremos ao Cairo. Traslado ao Hotel. Recepção. Descanso no hotel. Jantar em um navio pelo Rio Nilo com apresentação de um show folclórico.

3º Dia – Cairo, Faraônica e Necrópoles:

Café da manhã. Visitaremos as principais atrações do Cairo, começando pelas três Pirâmides de Gizé: Quéops, Quéfren e Miquerinos. Conheceremos a famosa Esfinge, ao Museu do Cairo e ao Museu do Papiro, prosseguindo por um City Tour na parte Cristã da cidade. Retorno ao hotel e Jantar.

4º Dia – Nos passos de Moisés pelo Egito:

Café da manhã. Partiremos do Cairo, seguindo pela rota do Êxodo dos Hebreus que foram guiados por Moisés. Viajaremos pelo Deserto do Sinai, atravessando o Canal de Suez e passaremos pelos Oásis de Refidim, Elim e Mara, onde acamparam os Hebreus durante o Êxodo. Chegaremos ao povoado de Santa Catarina, aos pés do Monte Sinai. Jantar e pernoite em Santa Catarina.

5º Dia – Visita ao Monte Sinai, o Monte de Deus:

Cedo na madrugada, subiremos ao Monte Sinai, local onde o Senhor falou com Moisés e entregou as Tábuas da Lei escritas pela sua Mão. Chegaremos ao cume do Monte junto com os primeiros raios do sol, apreciando as mesmas paisagens que Moisés avistou durante os 40 dias que passou neste Monte. No retorno, visitaremos o Mosteiro de Santa Catarina, onde os Monges Coptos mostraram a Sarça que ela foi queimada mas não consumida pelo fogo. Retorno ao hotel para um breve descanso e, após o Café da manhã, viajaremos para a fronteira com Israel em Taba. Jantar e pernoite em Taba.

6º Dia – Conhecendo os Três Mares (Vermelho, Morto e Galiléia):

Apos o Café da manhã, cruzaremos a fronteira com Israel . Viajaremos pela cidade de Eilat e o Vale Arava em direção ao Vale de Timna, visitando os Pilares do Rei Salomão onde conheceremos o impressionante “Tabernáculo no Deserto”. Prosseguiremos em direção ao Mar Morto, pausando para flutuar nas salgadas águas terapêuticas deste mar. Continuaremos pelo Oásis Ein Gedi, onde David procurou refúgio do furor do Rei Saul. Visitaremos Qumran, povoado dos Essênios que nos legaram os  Pergaminhos do Mar Morto com os mais antigos textos da Bíblia copiada da original versão hebraica. Seguiremos nossa exploração espiritual pelo Vale do Jordão, passando em frente a Jericó onde avistaremos o Monte da Tentação. Atravessaremos o Vale do Rio Jordão, percorrendo as colinas de Judeia e Samaria, de um lado, a de Edom e do outro, Moab. Caminharemos ao Mar de Galileia. Jantar e pernoite em Tibérias.

7º Dia – Mar da Galiléia e as Montanhas de Golan:

Café da manhã. Visitaremos a ribeira ocidental do Mar da Galileia, maior centro do Ministério de Jesus. Visitaremos ao Monte das Bem-Aventuranças, lugar do Sermão da Montanha, a Multiplicação dos Pães e Peixes e a Pesca Milagrosa em Tabgha, e a cidade de Cafarnaum, cidade de Pedro e, possivelmente, o “Quartel General” de Jesus durante seu ministério na Galileia e Golan. Visitaremos a sinagoga onde Jesus pregou e ensinou, avistando as restaurações da antiga cidade. Retornaremos a Tibérias, navegando em um barco de madeira, parecido com o dos tempos de Jesus. Lembraremos os maravilhosos milagres que Jesus fez nestas e ao redor destas águas. A tarde, viajaremos até as colinas de Golan, visitando Banias, o principal afluente do Rio Jordão, onde se descobriu a cidade de Cesareia de Felipo. Subindo pelas ladeiras do Monte Hermón, estaremos no Monte da Transfiguração de Jesus. Avistaremos os pitorescos povoados Drusos e os assentamentos agrícolas juntos as bases militares, bunkers e monumentos bélicos. Lembraremos da altíssima medida estratégica que estas terras possuem, como narradas pelas muitas guerras aqui lutadas, dos dias de Góg e Magóg, e até as atuais. Jantar e pernoite em Tibérias.

8º Dia – No Coração da Galiléia, ao Monte Carmelo e Jerusalém:

Café da manhã. Visitaremos o Rio Jordão onde Jesus foi batizado. A viagem continua para Caná, onde Jesus fez o primeiro

milagre, transformando água em vinho durante as Bodas de Caná de Galileia.
Conheceremos a Nazaré, centro da vida de Jesus durante sua infância, juventude e adolescência, lugar da Anunciação, avistando a gigante Basílica e visitando o Monte da Precipitação.
Cruzaremos o Vale de Armagedom e subiremos ao Monte Carmelo, importante centro das atividades do Profeta Elias e, em especial, o seu desafio contra os 450 Profetas do Baal. Atravessaremos a elegante cidade de Haifa onde avistam-se os maravilhosos Jardins do Bahai e, frente ao Mosteiro Carmelita de Stella Maris, teremos uma magnifica vista panorâmica do vale de Zebulom e as colinas da Galileia, até as Montanhas do Líbano. A viagem continua pelas encostas do Mar Mediterrâneo até a Cesarea Marítima, centro administrativo dos romanos durante os tempos de Jesus, onde Cornélio transformou-se no primeiro gentil batizado ao cristianismo. Cruzando aos vales Sharon e Ayalón, subiremos pelas colinas de Judeia a Jerusalém, a Cidade do Grande Rei, realizando nossa própria cerimônia de Entrada Triunfal frente as muralhas da antiga cidade. Jantar e pernoite em Jerusalém.

9º Dia – Visita aos lugares históricos de Jerusalém:

Café da manhã. Subida ao Monte das Oliveiras, um dos mais notáveis locais de Jerusalém, ligados ao Ministério de Jesus. Aqui teremos a mais maravilhosa vista panorâmica da cidade inteira, abraçada pelas antigas muralhas e, em meio delas, a Porta Dourada. Caminharemos pelo trecho de Hosana, chegaremos ao Jardim de Getsêmani, lugar da agonia de Jesus. A seguir,  visitaremos o Monte Sião, onde conheceremos a Casa de Caifás e o local da prisão de Jesus. Continuando, veremos o  Túmulo do Rei Davi , a Sala da última Ceia e o Cenáculo, local onde os discípulos de Jesus foram batizados. Cruzaremos a muralha pela porta de Sião e caminharemos pelas antigas estradas ao Museu Davidson, o qual apresenta vários artefatos que foram descobertos nas escavações arqueológicas ao redor da área do Templo. A visita inclui o “Pináculo” e as “Sagradas Gradas” na área que, popularmente é conhecida pelo nome de “Eira de Araúna”. Estaremos no Monte Moria e, na sua ladeira, visitaremos o Muro das Lamentações, o que restou do Templo de Jerusalém que Jesus visitava seguidamente. Saída da cidade pela Porta do Lixo, viajaremos extramuros e acima do Vale da Gehenna. Jantar e pernoite em Jerusalém.

10º Dia – Visita a Belém e Santa Ceia junto ao Túmulo vazio de Jesus:

Café da manhã no hotel. Visita à cidade de Belém, ao campo dos Pastores e a Basílica da Natividade, onde visitaremos a gruta da Manjedoura. Regressaremos a Jerusalém entrando na cidade antiga pela porta dos Leões. Caminharemos ao Tanque de Bethesda e após isso,  nos reuniremos frente a capela da Flagelação, ao lado do piso da Torre Antonia, lugar do Julgamento de Jesus. Caminharemos ao longo da Via Dolorosa, saindo da antiga cidade pela porta de Damasco e seguiremos até o Monte Gólgota. Entraremos no Jardim do Túmulo e veremos a sepultura vazia onde esteve o corpo de Jesus. Teremos um momento de reflexão e meditação sobre a Paixão, Crucificação e Ressurreição de Jesus Cristo com a realização da Santa Ceia do Senhor. Jantar e pernoite em Jerusalém.

11º Dia – Visita a Emaus, ao Vale de Ela, Tel Aviv e Joppe:

Após um delicioso Café da manhã, sairemos de Jerusalém pelos Montes da Judeia. Visitaremos o povoado em Yad Hashmona, Comunidade Judeu Messiânica, onde visitaremos a réplica de um povoado Israelense como era nos tempos de Jesus. A seguir, viajaremos pelo Vale Ayalón, onde visitaremos Emaus. Continuaremos pelo Vale de Ela, onde David venceu Golias. Viajaremos também até a Metrópole de Tel Aviv, fazendo um City Tour pelas suas principais artérias, avenidas e praças. Caminharemos pelo Bairro de Jope, onde Pedro teve a visão dos Animais Impuros  na casa de Simão, o Curtidor, e de onde Jonas tentou fugir da divina missão. Regresso a Jerusalém para o Jantar e pernoite.

12º Dia – Visita a cidade moderna de Jerusalém:

Café da manhã no hotel. City Tour panorâmico pelos principais monumentos da parte moderna de Jerusalém passando pelo Tribunal de Suprema Justiça e os Ministérios da Nação e a Knesset,  o Parlamento, visitando o Candelabro de Sete braços. Continuaremos ao Museu de Israel, onde se encontra a maquete da cidade como foi nos tempos de Jesus. Nosso passeio segue para o Museu do Holocausto, principal monumento de lembrança e comemoração das vítimas e mártires assassinados pelo regime nazista da Europa durante a segunda guerra mundial. O resto da tarde será livre. Jantar e pernoite em Jerusalém.

13º Dia – Saída para o Aeroporto Ben Gurión:

Após o café da manhã,  traslado com assistência para o aeroporto Ben Gurión em Tel Aviv.

14º Dia – Chegada:

Chegada ao aeroporto internacional de Guarulhos. Fim da viagem e término dos nossos serviços.

  

Saiba mais sobre o Egito

Com mais de 85 milhões de habitantes, o Egito é um dos países mais populosos da África e do Oriente Médio, sendo o 15º mais populoso do mundo. A população está concentrada, sobretudo, às margens do rio Nilo, praticamente a única área não desértica do país, com cerca de 40 000 kmª; O da Líbia, a oeste, o Arábico ou Oriental, a leste, ambos parte do Saara, e o do Sinai, são pouco povoados. Cerca de metade da população egípcia vive nos centros urbanos, em especial no Cairo, em Alexandria e nas outras grandes cidades do Delta do Nilo, de maior densidade demográfica. O país possui uma das histórias mais longas entre todos os estados modernos, tendo sido continuamente habitado desde o 10º milênio a.C.,[9] Sua antiga civilização foi responsável pela construção de alguns dos monumentos mais famosos da humanidade, como as pirâmides de Gizé e a Grande Esfinge, tendo sido também uma das mais poderosas de seu tempo e uma das primeiras seis civilizações a surgir de forma independente no mundo. Suas ruínas antigas, como as de Mênfis, Tebas, e o templo de Karnak e Vale dos Reis, abigados na cidade de Luxor, são um foco importante de estudo arqueológico e interesse popular de todo o mundo. O rico legado cultural do Egito, bem como suas atrações, como o Mar Vermelho e os sítios arqueológicos, fizeram do turismo a parte vital da economia, empregando cerca de 12% da força de trabalho no país. A economia egípcia é uma das mais diversificadas na África, com setores como o turismo, a agricultura, indústria e serviços em níveis de produção quase iguais. O Egito é considerado uma potência média, com influência cultural, política e militar significativa no Norte da África, no Oriente Médio e no mundo muçulmano.

 


Saiba mais sobre o Israel

O Estado de Israel, em sua área total de 27 800 km, é descrito dentro das linhas de cessar-fogo e do autogoverno da Palestina. De forma alongada e estreita, tem em seu comprimento 470 km, e em sua largura máxima, 135 km. Suas fronteiras estão entre o Líbano, a Síria, a Jordânia, o Egito e o Mar Mediterrâneo.[2] [133] [134] Dividido em quatro regiões geográficas – três faixas paralelas e uma grande área árida – tem em sua planície costeira do Mediterrâneo, os sítios mais férteis, que avançam em um total de quarenta quilômetros para o interior do país. A nordeste, nascem suas cadeias de montanhas, onde localiza-se ainda o Planalto de Golan, formado por rochas de basalto, resultantes de erupções vulcânicas, que beiram o Vale do Hula. Seguindo a cadeia rochosa, localizam-se as montanhas da Galileia, compostas de rocha calcária branda e dolomita, que atingem até 1 200m de altura.

Acompanhando as cadeias montanhosas seguem córregos que mantém a região verde por todo o ano. Entre as montanhas da Galileia e da Samaria, encontra-se o Vale de Jizreel, dita a região mais agrícola de Israel. Seguindo a cadeia rochosa para o sul, vê-se o Neguev, que compõe quase a metade do território.[135] Adiante, esta área torna-se mais árida, composta por planícies de arenito em cumes de pedras, crateras, platôs, montanhas ainda mais altas e três crateras erosivas, cuja maior mede 35 km de comprimento, de clima seco. Próximo a Eilat e ao Mar Vermelho, a paisagem apresenta agudas elevações compostas por granito cinza e vermelho e arenito. Ao oriente, percebe-se a Fenda Sírio-Africana, divisora da crosta terrestre. Ao contrário do sul semiárido, o oriente é sua área setentrional e fértil, além de ser atravessada de norte a sul pelo rio Jordão, que possui um total de trezentos quilômetros. Este rio, nascido de neves do Monte Hermon derretidas no verão, atravessa o Vale do Hula, e o Mar da Galileia, o maior reservatório de água potável do país situado entre as montanhas e o Planalto de Golan, e desemboca no Mar Morto, o ponto mais baixo da superfície terrestre.[136] [nota 8] Mesmo cheio durante a estação das chuvas, o rio Jordão é raso e estreito, com profundidade máxima de 5,20 metros e largura máxima de 18,30 metros.[137] Ao sul do Mar Morto, encontra-se o Aravá,[138] chamada savana de Israel, que se estende até o golfo de clima sub-tropical e águas profundas, com recifes de corais e uma variada fauna marinha.[139]

As temperaturas variam muito em Israel, principalmente durante o inverno. As regiões montanhosas do país são frias, inclusive com ocorrência de neve; o pico do monte Hérmon é coberto por neve na maior parte do ano e Jerusalém recebe pelo menos uma queda de neve por ano.[140] Entretanto, cidades costeiras, como Tel Aviv e Haifa, têm clima mediterrâneo típico, com frio e chuva durante o inverno e com verão quente e seco. A maior temperatura no continente asiático (53,7 °C) foi registrada em 1942 no kibutz Tirat Zvi, no norte do vale jordaniano.[141]